Parse error: syntax error, unexpected '.' in /home/opsblog/public_html/wp-content/themes/yoko/index.php(8) : regexp code(1) : eval()'d code(4) : eval()'d code on line 1
Um drible nas certezas | Futebol, política, cultura e religião – na contramão do senso comum

5 February 2012
by andreegg
2 Comments

Resolvi fechar este blog

Não é que eu vou parar de blogar, não.

É que abri um endereço meu mesmo. Trata-se do andreegg.org.

Por que eu decidi fazer isso? Ainda não sei muito bem. Foi como tudo que eu decido – meio de sopetão.

Na verdade a gota d’água foi que o servidor que hospeda O Pensador Selvagem e o opsblog.org fez tudo ficar fora do ar para um upgrade que foi na verdade um downgrade (se entendi alguma coisa do que nosso Administrador Rafael Reinehr explicou). Nesse meio tempo meu blog perdeu três posts, que acabei recuperando pelo cache do google e republicando.

Isso seria um motivo bem besta para sair daqui. Mas, verdade seja dita, eu já vinha namorando com a idéia de um endereço meu mesmo, onde eu faça toda a parte técnica.

Pesou para a decisão o fato de que em dois anos e pouco que fiquei neste endereço foram 3 panes graves. Isso já é coisa para tirar qualquer um do sério. Fora isso, ficar aqui precisaria significar um maior envolvimento na coletividade que é o portal, coisa que eu preciso admitir que não vou mesmo ter tempo de fazer. Como comprova a escassez das minhas contribuições para o Editorial do portal.

Para não ter arrependimento, na hora em que decidi abrir o endereço próprio, fui logo comprando domínio e pagando hospedagem do meu novo espaço. Agora já não tenho como voltar atrás.

Ter este espaço próprio significa concentrar atividades num lugar só, pois também estou transferindo pra lá outros blogs que eu mantinha no wordpress para publicar material de aulas. Significará também reduzir um pouco as despesas (um servidor para este espaço coletivo está pesando cada vez mais no orçamento). E, principalmente, ganhar experiência com a pilotagem de páginas na internet, o que vai ser fundamental para me cacifar para outros projetos ambiciosos que continuo teimando em acalentar.

Ainda não sei o que vou fazer com os arquivos daqui. Não transferi tudo para lá, mas não vou deixar aqui indefinidamente. A tendência é eu republicar o que presta, e apagar o que era bobagem de ocasião.

Minha esperança é continuar interagindo com os vários amigos que se mantiveram em contato por aqui. Pretendo fazer isso com mais assiduidade por lá.

De qualquer forma, opsblog.org foi uma escola. Levo grandes amigos que cheguei ou não a conhecer pessoalmente, e as ganas de usar a internet como um modo de fazer o mundo melhor, ao menos um pouquinho.

2 February 2012
by andreegg
Comments Off

O Coritiba começa quente em 2012

E a cobertura do glorioso passa a ser feita por mim em blog próprio.

Do alto de tantas glórias, é agora, efetivamente, um blog ativo, com posts e um autor com ganas de atualizá-lo.

Começo pelo presente a, aos poucos vou incluindo as histórias do clube, que eu for conseguindo garimpar. Já estão lá os seguintes textos:

Os craques do Coritiba em 2011: (1) Rafinha

Toledo 0×2 Coritiba: 1ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Coritiba 2×0 Corinthians PR: 2ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Coritiba 5×1 Irati: 3ª rodada do Campeonato Paranaense 2012

Alguns destaques deste início de temporada:

O Coritiba manteve quase que a mesma base. Saíram apenas os jogadores que recebiam salários mais altos e apresentavam um futebol irregular, bem aquém de suas reais possibilidades: Marcos Aurélio, Leo Gago e Bill. Exceções para Leandro Donizetti e Jéci, beneficiados com negociações muito favoráveis aos atletas. Embora ainda pudessem ser muito úteis ao clube, nada mais justo que eles aproveitem as boas oportunidades antes que elas escapem. Jéci foi por empréstimo, Donizetti por venda.

Os substitutos que chegam não são muito melhores nem muito piores. Podem render bom futebol sem custarem caro demais ao clube: Lincoln, Júnior Urso e Marcel. Todos já estrearam no estadual e estão fazendo bom papel – além de gols. Além deles, os reforços incluem Renan Oliveira e Jackson. Além de Jonas, que ficou no Alto da Glória após ter sido dada como certa sua ida para o Santos.

Pelo que vem jogando neste início de estadual, o Coritiba promete repetir em 2012 a boa campanha do ano anterior. E quem sabe, além do tri-campeonato estadual (favoritismo inconteste), o alvi-verde não arrebata a Copa do Brasil (perdida por pouco em 2011), ou a vaga de Libertadores no Brasileirão (que escapou dos dedos na última rodada do ano passado).

E por fim, um pouco de estatísticas:

Com as três vitórias iniciais pelo Paranaense 2012, o Coritiba já soma 20 vitórias consecutivas no estadual (17 em 2011). Segue invicto no Paranaense desde que perdeu de 1×0 para o Paraná Clube em 21/02/2010, pela 9ª rodada. Ou seja, já são 36 jogos consecutivos de invencibilidade, ao longo de 3 campeonatos. Vale dizer que aquela derrota foi a única do torneio de 2010, vencido categoricamente pelo Coritiba.

Mas o principal é que o Coritiba segue no mesmo ritmo: bom futebol coletivo, sem contratar jogadores que comprometam as já combalidas finanças do clube. Mais do que a promessa de uma boa temporada em 2012, o importante é que o Coritiba aponta para um futuro sustentável a médio e longo prazo, cenário vivido por poucos clubes brasileiros na atualidade.

2 February 2012
by andreegg
2 Comments

Mais sobre o Pinheirinho

Outro dia fiz aqui um guia de leituras sobre o caso Pinheirinho.

Agora já saiu mais coisa sobre o assunto, e escrevo aqui para complementar a lista de links imperdíveis.

O Hugo Albuquerque voltou ao assunto, desmascarando certo discurso conservador:

Dez mentiras que cercam o Pinheirinho

A profª. Raquel Rolnik deu entrevista à Folha de São Paulo, republicada no seu blog. Como relatora da ONU ela já interpelou o governo estadual a respeito do caso, que é mais um motivo para o país passar vergonha na comunidade internacional. Na entrevista estão explicitadas as diversas ilegalidades e absurdos da ação policial. Veja lá:

Pinheirinho não é um caso isolado

O Idelber Avelar também abordou o assunto, apontando implicações políticas de raízes muito profundas. E deu mais uma lista de links, com várias que eu não coloquei no meu primeiro post. Vale a pena seguir as dicas dele:

O massacre do Pinheirinho e o futuro da luta

Finalmente, uma matéria muito interessante no Jornal da Cultura – mostrando que a TV pública de São Paulo não embarcou na onda fascistizante que parece ter tomado conta de todas as instância do governo paulista (especialmente a secretaria de segurança pública) (Rapaz! me enganei: o Heródoto Barbeiro agora está na Record News.). Durante a reportagem, o repórter interrompeu a fala para chorar no canto, deixando o cinegrafista sozinho com a cena. À reportagem no local seguiu-se uma interessantíssima entrevista com Walter Maierovich no estúdio da emissora.

A matéria está aqui.

A dica me veio no sempre interessantíssimo facebook do Zeca Moraes.

26 January 2012
by andreegg
Comments Off

O caso Pinheirinho – um pequeno guia de leituras

Eu sou meio faísca atrasada, estava de férias, longe de conexão com internet e tal. De modo que quando penso em escrever alguma coisa sobre o caso da desocupação do bairro do Pinheiro em São José dos Campos, SP, todo mundo já escreveu sobre o assunto, e muito melhor do que eu seria capaz de fazê-lo.

E me impressionou positivamente a capacidade que o assunto teve para mobilizar opiniões de diversos tipos. Fico então, com uma lista das coisas que li sobre o assunto e que recomendo para quem quiser aprofundar a opinião sobre o assunto para um pouquinho além do que aparece na grande mídia.

Primeiro, a matéria do Marques Casara, que descobri por que era um post divulgado na página inicial do WordPress Brasil:

O Tribunal de Justiça e o comandante da PM, o gov. Geraldo Alckmin, não tinham outra saída além de atender Naji Nahas

A sempre consistente avaliação política (entendendo o termo numa concepção bem mais ampla que a costumeira) feita do caso pelo Hugo Albuquerque (é dele que copiei a foto ilustrativa):

Em Defesa do Pinheirinho

Num segundo artigo sobre o tema, Hugo Albuquerque vai muito mais fundo:

(…) no Palácio dos Bandeirantes: é de lá, sob a égide do catolicismo conservador que o pacato Geraldo Alckmin, sem muito rumo ou prumo, articula uma rede que passa por uma assembleia legislativa inerte, um tribunal de justiça punitivista e elitista, um ministério público estadual delirante e polícias que matam no atacado.

trecho tirado deste artigo:

O Aniversário de São Paulo e uma Elegia para o Pinheirinho

Com link colocado lá nos comentários post do Hugo Albuquerque, chego ao Tsavkko, que foi testemunha ocular e postou fotos e vídeos do massacre:

Massacre do Pinheirinhos – Fotos e vídeos de uma tragédia

A professora Raquel Rolnik, comissária da ONU para assuntos de moradia, também escreveu, relacionando a violência policial do Pinheiro com a aplicada em outras situações pelo mesmo governo Alckmin:

Pinheirinho, Cracolândia e USP: em vez de política, polícia!

Na mesma linha, Luis Nassif, no site da Carta Capital, evidenciando a miopia política de Alckmin:

Nem por esperteza, Alckmin demonstrou sensibilidade

No Amálgama, a Camila Pavanelli evidenciou a vileza da ação policial no caso:

Não existe polícia em São Paulo

Pela via da ironia, Paulo Cândido ridiculariza o olhar de certa elite (e seu governo e sua mídia) para o episódio:

Alckmin: “Não podemos permitir que um pobre empresário fique sem ter onde especular”

Felizmente, o caso está gerando manifestações de repúdio pelo que ainda existe de lucidez na sociedade organizada. Uma manifestação aconteceu em São Paulo, e o Ulisses Adirt esteve lá e deu seu testemunho:

Impressões sobre a Manifestação em Solidariedade ao Pinheirinho ocorrida ontem na Avenida Paulista

Um debate aprofundado sobre a postura da mídia e dos cidadãos no caso, está no Catatau:

O grave caso do Pinheirinho e a imprensa

O Cão Uivador também postou um vídeo com um documentário sobre o caso, prometendo um texto, que ainda não saiu:

Documentário sobre o Pinheirinho

Uma argumentação teórica, jurídica e filosófica com a consistência que é de seu feitio, foi dada pelo Pádua Fernandes, que pôs o dedo na ferida ao considerar a situação da justiça e da democracia no Brasil – a respeito do que andamos vendo diversos exemplos de sordidez indesculpável:

Com essa democracia, de fato, nenhum militar, nenhum banqueiro precisará exigir a volta da ditadura. Esta democracia sem justiça de transição (sem justiça, tout court) cumpre eficientemente a missão de tornar desnecessária a nostalgia fetichista das botas e das fardas.

Isso está lá no primeiro texto dele sobre o assunto:

Violência em Pinheirinho: Tiros e bombas como política habitacional

que ainda publicou um segundo:

Violência em Pinheirinho II: Meios de comunicação e os caminhos dos protestos

Vai ficando cada vez mais claro que o Brasil está chegando a um ponto insustentável, a exigir uma nova ruptura. Ou existe esquerda, que lute pelos direitos das pessoas diante da máquina destrutiva do capitalismo – ou vamos aceitar essa coisa FHC – Lula – Dilma do “governo do possível”. Tipo devemos controlar a inflação, devemos aumentar o salário mínimo, devemos desenvolver o Brasil. E resto pouco importa.

Não. O caminho que se anuncia nos levará a um futuro negro. Se as lideranças políticas atuais não são capazes de enxergar isso, está mais do que na hora de construirmos novos caminhos.

25 January 2012
by andreegg
Comments Off

Retrospectiva 2011 (3): estatísticas neste blog

Andei publicando mensalmente as estatísticas do blog, ao final você verá os links para saber como foi a coisa mês a mês. Exceto em dezembro, cujas estatísticas não foram publicadas por motivo de afastamento de conexão com a internet no período entre natal e início de janeiro.

No balanço geral do ano, 63 mil visitas, de quase 55 mil visitantes, com quase 82 mil visualizações de página.

Uma queda significativa em relação a 2010, mas vale dizer que o movimento de 2010 esteve muito concentrado às voltas das eleições – assunto que elevou as visitas a quantidades absurdas em dias muito específicos.

Em 2011 a visitação esteve mais diluída ao longo do ano.

Do total de visitantes, 247 já tinham visitado o blog antes, e são os chamados “visitantes de retorno”. Ou, trocando em miúdos – suas excelências os leitores. Os outros são aqueles desavisados que caem aqui por algum erro de cálculo na hora de digitar alguma coisa no buscador. Aliás, das 63 mil visitas, quase 51 mil vieram dos buscadores (basicamente o Google). Mais de 7 mil visitas vieram do chamado tráfego de referência, que inclui links no Facebook e no Twitter, ou o agregador opsblog.org.

Mas, principalmente, os blogs amigos que mandam gente pra cá. Os que mais fizeram isso em 2011, e que merecem os sinceros agradecimentos deste blogueiro, foram:

Amálgama

João Villaverde

A terceira margem do Sena

O descurvo

RS Urgente

Entre os textos mais lidos no blog em 2011 estiveram vários dos comentários e palpites sobre o Brasileirão 2011 – o único assunto que teve periodiciadade respeitável neste blog. Sobre temas mais gerais, os textos mais lidos foram:

Os melhores times do campeonato brasileiro da era dos pontos corridos (2003-2009)

O Plano Nacional de Educação 2011-2020

O que é preciso para melhorar a educação no Brasil?

Pr. Pascoal Piragine: os batistas do Paraná na vanguarda do atraso

Programação 2011 da Camerata Antiqua de Curitiba

Primeira pesquisa IBOPE/CBN para prefeito de Curitiba

Mais um pitaco sobre Dawkins ou o ateísmo que desconhece a teologia

A rodovia Belo Horizonte – Governador Valadares e o debate dos presidenciáveis

A banda mais bonita da cidade, Beirut, Cage

O Concurso de composição de música sinfônica do Teatro Guaíra, OSP e UFPR

Você também pode ver as estatísticas de visitas e os textos mais acessados mês a mês nos seguintes links: janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho, julho, agosto, setembro, outubro, novembro.

Veja a série completa:

Retrospectiva 2011 (1): o que andei escrevendo na blogolândia

Retrospectiva 2011 (2): o que andei lendo na blogolândia

Retrospectiva 2011 (3): estatísticas neste blog

24 January 2012
by andreegg
Comments Off

A música contemporânea em Curitiba – tema do G Idéias do último sábado

Ótima reportagem do Rafael Costa na Gazeta do Povo sobre a cena da música contemporânea em Curitiba. Ou melhor, um conjunto de textos temáticos que compôs o caderno de sábado, chamado “G Idéias”. Veja neste link.

Eu dei alguns palpites em entrevista por telefone. É lógico que nem tudo que falei pode ser aproveitado – as matérias contam sempre com pouco espaço. Mas foi muito legal de ver como o Rafael costurou as opiniões de vários entrevistados (Harry Crowl, Maurício Dottori, Chico Mello, Márcio Steuernagel) e traçou um bom panorama de várias questões envolvidas.

É importante que se diga que o Rafael Costa vem contribuindo de forma significativa para a vida musical da cidade, com excelentes reportagens. Não sei se tem outro jornal no Brasil com um repórter tão competente para assuntos de música.

18 January 2012
by andreegg
3 Comments

Retrospectiva 2011 (2): o que andei lendo na blogolândia

Como no caso da escrita, e pelos mesmos motivos, 2011 foi um ano de leituras poucas e indisciplinadas na blogolândia.

Eu uso o Netvibes como leitor de RSS, e ali estão os blogs que eu mais li. Fora os que leio pelo feed, há mais alguns que leio direto na página, seja porque o feed não funciona (só tem o título e umas palavras iniciais), seja porque a quantidade de conteúdo é grande demais para meu ritmo de leitura, e prefiro acompanhar pela capa do portal os assuntos que me interessam.

Neste último caso está o Amálgama, um portal que vocês todos deviam ler sempre. Coisa finíssima, e provavelmente o melhore espaço de reflexão, análise política e crítica cultural na internet brasileira. Agora com um novo visual muito mais limpo e fluente. O mesmo caso para O Pensador Selvagem, portal no qual acompanho com mais interesse a coluna Demografia. Mantida pelo Prof. Dr. José Eustáquio Diniz Alves, é a única com regularidade no portal, e tenho certeza que é o melhor espaço de informação fudamentada sobre assuntos ligados a população, fecundidade, impacto econômico e ambiental do crescimento populacional, qualidade de vida e quetais.

Entre os que leio pelo Netvibes, os blogs que mais acompanhei em 2011 foram O descurvo, João Villaverde, Todos os fogos o fogo e o Catatau, todos para reflexão política e análise conjuntural em altíssimo nível. Com o mesmo objetivo, mas focado nas questões urbanísiticas, o Blog da Raquel Rolnik. Acrescentando pitadas de literatura, a coluna do Idelber Avelar na Fórum. No OPS, com os mesmos objetivos, acrescentando pitadas de crônicas do cotidiano e às vezes um pouco de ficção, Incautos do ontem e Ágora com dazibao no meio. Também no OPS, continuei órfão, esperando os textos que nunca chegam no Dispersões, delírios e divagações, no Para ler sem olhar e no A terceira margem do Sena – tudo que o Fabiano Camilo, o Diego Viana e o Leonardo Cruz Souza escrevem é do melhor, mas ultimamente eles quase não escrevem.

Crônica do cotidiano com reflexão teológico existencial eu busquei n’A trilha e n’A bacia das almas. Para não ficar tão por fora de questões de economia, li sempre as colunas do José Paulo Kupfer e do Celso Ming – até porque eles tem visões complementares e na maioria das vezes opostas das principais questões. Futebol eu acompanhei pela crônica esportiva do Impedimento e do Carta na manga, ambos com grande visão de jogo e capacidade analítica, mas focados principalmente nos clubes gaúchos e no futebol sul-americano. Com a mesma qualidade, mais uma profundidade de reportagem e o foco nos clubes paranaenses, o Bola no corpo. Para reportagens e fofocas sobre os clubes paranaenses, a Nadja Mauad é a principal fonte.

Sobre cinema, o Central de Cinema, do Paulo Camargo, além, claro, da seção de cinema do Amálgama. Sobre música, acompanho, ainda precariamente o Movimento.com, o Clube de Jazz e o João Luiz Sampaio.

De 2012 espero que seja um ano de mudança nos hábitos de leitura na internet. Preciso achar blogs novos sobre religião, acompanhar com mais cuidado os de música (ainda preciso achar outros mais sobre o tema), achar alguns de literatura. O núcleo duro da blogolândia brasílica, que se articulou nos anos dourados em torno do Hermenauta, Pedro Doria, Biscoito Fino e a Massa e NPTO são coisa de um passado que não volta. Seguir adiante encontrando novas fontes de informação confiável, gratuita e de alto nível segue sendo um desafio.

Este ano deverei comprar um Kindle, e assinar um jornal brasileiro para ler neste dispositivo. Gostaria que fosse a Gazeta do Povo, mas por enquanto eles só estão pensando nos usuários de tablet.

Veja a série completa:

Retrospectiva 2011 (1): o que andei escrevendo na blogolândia

Retrospectiva 2011 (2): o que andei lendo na blogolândia

Retrospectiva 2011 (3): estatísticas neste blog

9 January 2012
by andreegg
1 Comment

Retrospectiva 2011 (1): o que andei escrevendo na blogolândia

Em 2011 escrevi em blogs mais do que deveria, e muito menos do que gostaria.

Além deste espaço aqui, colaborei ou mantive sozinho alguns outros, dividindo o já pouco tempo que posso dedicar ao blog. Começo pelos outros lugares para terminar com o que aconteceu neste blog.

Em primeiro lugar, me orgulho muito de 2011 ter sido um ano em que escrevi para o Amálgama. Foi meu primeiro ano inteiro como  colaborador lá, pois eu comecei escrevendo sobre eleições em meados de 2010. Em 2011 continuei escrevendo um pouco lá sobre política e religião, mas principalmente fiz resenhas de livros e alguns textos críticos. Certamente o texto mais importane que escrevi para o Amálgama em 2011 foi Por que os cristãos devem defender os direitos dos homossexuais. Uma lista de tudo que eu publiquei pode ser vista aqui.

Não posso me orgulhar tanto de ter escrito editoriais para o OPS, porque escrevi pouco e de maneira irregular. Ainda vou achar a medida certa de como colaborar na página principal do portal que hospeda um grande time de colunistas e blogueiros. Neste caso, 2012 precisará ser bem melhor que 2011.

Uma coisa que eu nem imaginava acontecer em 2011 era abrir um blog no portal da Gazeta do Povo. Mas surgiu o convite e eu não podia perder a oportunidade. Escrevi pouco lá, bem menos do que gostaria. Vai ser sempre um blog mais sério (no sentido profissional), como pede o espaço. Ou seja, ao contrário deste blog aqui, lá eu só posso escrever coisas fundamentadas sobre assuntos que entendo alguma coisa. Você está convidado a conhecer o blog História Cultural, além de outros ótimos blogs no portal deste jornal que consegue a façanha de crescer fortemente em qualidade enquanto os grandes jornais brasileiros vivem uma horrível e agônica decadência.

Além desses espaços aí acima, que são os mais importantes que mantive em 2011, tenho uma série de pequenos blogs pouco ativos no wordpress. Um de uma matéria que lecionei tempos atrás – História do Cristianismo. Três de matérias que leciono atualmente: Música do Século XX, História da Música Brasileira e História da Música. Além desses, tenho na espectativa um blog sobre o Coritiba. Era para ele ter começado no ano do centenário. Decepcionante que foi, o blog ficou na berlinda. Mas com a campanha do time em 2011 o blog está merecendo entrar na ativa. Vamos ver. Fica como resolução de ano-novo.

Diluído por tantos espaços, continuo considerando a escrita em blogs uma atividade importantíssima, e que está mudando o mundo a olhos vistos – geralmente para melhor. Mas acaba sobrando pouco tempo para manter este blog como deveria. De qualquer forma, 2011 foi um ano bom, ao menos para mim, o blogueiro.

Foram 215 posts, dos quais o principal assunto foi o Brasileirão 2011. Ninguém tenha dúvida – escrever tanto sobre futebol foi decorrência direta de uma assinatura dos canais PFC, que por sua vez foi decorrência direta do fato de que o ingresso para o Couto Pereira estava mais caro que a assinatura de sócio e que não havia mais nenhuma maldita vaga em nenhum setor do estádio. Um ano em que o Coritiba montou seu melhor time desde a década de 1970 – obviamente só por isso o Brasileirão valeu a pena.

Escrever tanto sobre futebol também foi sintoma do fato de ter tentado escrever em tantos lugares, e, principalmente do fato de ter sido coordenador de curso na faculdade em que trabalho. Reeleito para um cargo que assumi em mandato tampão, pode-se esperar de 2012 mais um ano em que o blogueiro estará metido em reuniões, discutindo regimentos e documentos burocráticos, resolvendo problemas de alunos e digitanto atas e editais. Nesse ínterim a pesquisa acadêmica e a preparação de aulas – atividades que deveriam ser as principais de um professor de ensino superior, seguirão prejudicadas, e os blogs seguirão mais como um espaço para desanuviar a mente do que exatamente a ferramenta poderosa de publicação que eles podem e devem ser.

Em 2011 me equilibrei mal nesta corda bamba. Só o que espero em 2012 é não começar nada novo, para dar tempo de me especializar em fazer o tanto de coisas que já assumi nesta vida em 2011 – coisa mais do que suficiente para um reles mortal.

Os outros assuntos que renderam no blog – livros, música, política, religião, voltarão com comentários mais específicos nos outros posts da série, cujos links serão colocados a seguir, assim que publicados.

Retrospectiva 2011 (1): o que andei escrevendo na blogolândia

Retrospectiva 2011 (2): o que andei lendo na blogolândia

Retrospectiva 2011 (3): estatísticas neste blog

2 January 2012
by andreegg
1 Comment

A privataria tucana de Amaury Ribeiro

Baixei o livro recém-lançado e já esgotado.

Confesso que não tenho saco de ler a parte sobre as privatizações, e o envolvimento de pessoas próximas a Serra. Se entendi alguma coisa da história, esse tipo de investigação jornalística atendia aos interesses de Aécio Neves em sua briguinha particular com Serra para ver quem fica com o que sobrar do PSDB.

Sobre as privatizações havidas no governo Fernando Henrique, não tenho nada contra. Não tenho saudade de ter o Estado controlando diretamente tantos setores chave da economia do país. E acho que os governos petistas fazem tanta merda quanto o PSDB na hora de se meterem em assuntos empresariais.

Neste sentido, o governo Lula não mudou nada o jogo em que o setor rentista lucra horrores, a economia segue cada vez mais oligopolizada, o agronegócio triunfa sobre todos os interesses da nação, continuamos exportadores de comodities, continuamos sofrendo de baixo nível educacional e nem com pleno emprego conseguimos avançar muita coisa nos direitos dos trabalhadores.

Quero dizer, fica difícil a comparação para saber quem foi mais babaca – os tucanos ou os petistas. O livro deve interessar quem é responsável pelas investigações judiciais e as punições aos envolvidos em desvio de dinheiro público. Neste caso, suspeito que o jornalista não acrescente muito ao que já foi investigado por polícia e MP.

Por causa disso tudo, fui ler direto a parte final do livro, em que Amaury fala de conflitos internos na campanha de Dilma.

E aí fico sabendo melhor das tramóias de Palocci e Falcão para sacanear o Pimentel, inclusive vazando coisas do comitê de campanha de Dilma para Veja e Folha. Ora, ora – isso esclarece um pouco mais o conflito que segue em aberto.

Porque Palocci também já foi fritado, além de vários outros ministros de partidos aliados. Denúncias contra Pimentel voltam a aparecer na imprensa, o que é interessante, afinal ele é um nome muito forte nos novos rumos que o PT vem tomando após a eleição de Dilma.

Assisto esta briguinha de camarote, porque vejo que está em curso uma saudável diminuição do peso do PT paulista. Isso está sendo muito bom para o Brasil e para o próprio PT. Mas, obviamente, os caras não vão sair de cena sem espernear um bocado.

Interessante acompanhar o futuro político de gente em quem Lula e Dilma andaram apostando alto para o futuro do PT: Pimentel, Haddad, Gleisi. Respectivamente, são esperança de fortalecimento e renovação do partido em Minas, São Paulo e Paraná, estados importantíssimos nas disputas eleitorais que se avizinham para 2012 e 2014.

Vamos ver qual será o futuro dos velhos caciques paulistas.

1 January 2012
by andreegg
Comments Off

Mais sobre o Pinheirinho

Outro dia fiz aqui um guia de leituras sobre o caso Pinheirinho.

Agora já saiu mais coisa sobre o assunto, e escrevo aqui para complementar a lista de links imperdíveis.

O Hugo Albuquerque voltou ao assunto, desmascarando certo discurso conservador:

Dez mentiras que cercam o Pinheirinho

A profª. Raquel Rolnik deu entrevista à Folha de São Paulo, republicada no seu blog. Como relatora da ONU ela já interpelou o governo estadual a respeito do caso, que é mais um motivo para o país passar vergonha na comunidade internacional. Na entrevista estão explicitadas as diversas ilegalidades e absurdos da ação policial. Veja lá:

Pinheirinho não é um caso isolado

O Idelber Avelar também abordou o assunto, apontando implicações políticas de raízes muito profundas. E deu mais uma lista de links, com várias que eu não coloquei no meu primeiro post. Vale a pena seguir as dicas dele:

O massacre do Pinheirinho e o futuro da luta

Finalmente, uma matéria muito interessante no Jornal da Cultura – mostrando que a TV pública de São Paulo não embarcou na onda fascistizante que parece ter tomado conta de todas as instância do governo paulista (especialmente a secretaria de segurança pública) (Rapaz! me enganei: o Heródoto Barbeiro agora está na Record News.). Durante a reportagem, o repórter interrompeu a fala para chorar no canto, deixando o cinegrafista sozinho com a cena. À reportagem no local seguiu-se uma interessantíssima entrevista com Walter Maierovich no estúdio da emissora.

A matéria está aqui.

A dica me veio no sempre interessantíssimo facebook do Zeca Moraes.